segunda-feira, 10 de abril de 2017

As versões pós-finais dos roteiros para meus cinco vídeos didáticos sobre a história em quadrinhos e vídeos extra e extraoficial.

Tirinhas, charges e cartuns: origens, significados e diferenças, vídeo 1 de 5, parte 1 de 2.

Tirinha (comic strip em inglês e tira de prensa em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, com os quadros (que costumam variar entre um e cinco, sendo três o mais comum) dispostos e organizados em forma de uma tira, como o próprio nome já implica, humorística ou não. A tirinha critica os valores da sociedade. Existem três tipos de tirinhas: as tiras diárias (daily strips em inglês e tiras diarias em espanhol), geralmente, impressas em pequenas quantidades e em preto e branco devido ao ritmo de publicação (embora algumas em cores) e contendo entre um e cinco quadros (sendo três o mais comum) na horizontal (embora algumas na vertical), as pranchas dominicais (sunday boards em inglês e planchas dominicales em espanhol), geralmente impressas em grandes quantidades, em cores (embora algumas em preto e branco) e com um maior número de quadros que ocupam uma página inteira e as yonkomas (yonkomas também em inglês e espanhol), de origem japonesa, com quatro quadros na vertical (embora algumas na horizontal) e que sempre tratam de temas sérios, mas de forma humorística. Etimologia: do inglês americano, comic strip, tira de história em quadrinhos (ou tira de banda desenhada em Portugal e Angola).

Charge (charge também em inglês e espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). A charge critica as pessoas e coisas da contemporaneidade e surgiu como manifesto político na França contra a realeza no ano de 1801, quando o governante ainda era o Rei Luís Filipe I da França. Etimologia: do francês franco-belga, charger, carga, exagero ou ataque violento (carga de cavalaria). Não confundir com Chargé (comuna da França).


Cartum (cartoon em inglês e cartón em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). O cartum critica as situações do cotidiano e surgiu depois que foi promovido um concurso de desenho no Reino Unido organizado pela realeza no ano de 1941, onde os primeiros cartuns foram produzidos em pedaços de cartão grandes, quando o governante ainda era o Rei Jorge IV do Reino Unido. A revista Punch, no ano de 1843 foi quem popularizou o termo cartoon. Devido às semelhanças entre os primeiros curtas-metragens de animação e os cartuns impressos e publicados na época, o nome cartoon em inglês também se refere ao desenho animado, por extenso, animated cartoon. A mesma coisa acontece em italiano e alemão, onde desenho animado se chama, respectivamente, cartone animato e animierte Cartoon. Etimologia: do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone, pedaço de cartão grande, esboço, estudo, rascunho ou anteprojeto. Não confundir com Cartum (capital do Sudão).

Tirinhas, charges e cartuns: origens, significados e diferenças, vídeo 1 de 5, parte 2 de 2.

Outras referências utilizadas: diversas postagens do Yahoo! Respostas, Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol.

Explicações semelhantes de alguns colegas do YouTube e Blogger:

(Colaboração: usuária Erin do Yahoo! Respostas Brasil e usuários Liebre Asesino e Jim do Yahoo! Respostas em Espanhol.)


O que são histórias completas e minisséries, vídeo 2 de 5.

História completa (complete story em inglês e historia completa em espanhol): história em quadrinhos de média ou longa duração e que dura uma única edição.

Algumas histórias completas vêm em edições normais com outras histórias, enquanto que outras são lançadas em edições especiais.

Minissérie (miniseries em inglês e miniserie em espanhol): história em quadrinhos de média ou longa duração e que se estende por duas ou mais edições, com um número pré-definido (que costuma variar entre duas a quatro, embora algumas mais extensas, assim como, por exemplo, 13). Algumas minisséries vêm com suas partes em edições normais com outras histórias, enquanto que outras são lançadas em edições especiais.

Além disso, existem histórias completas e minisséries que se tratam de prelúdios, sequências, spin-offsremakes e reboots de outras já produzidas (em inglês, preludes e sequences para ambos os primeiros, e, em espanhol, preludios e secuencias, com os outros três sendo spin-offs, remakes e reboots também em inglês e espanhol).


Prelúdio é uma história que se passa antes dos eventos de outra já lançada, sequência é uma história que se passa após os eventos de outra já lançada, spin-off é uma história derivada de outra, remake é uma história que refaz a história original com o mesmo enredo inicialmente apresentado e reboot é uma história que refaz a história original sem ligação com seu enredo inicialmente apresentado.

Referências utilizadas: diversas postagens da Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol.

O que são gibis, romances gráficos e fanzines, vídeo 3 de 5.

Gibi (comic book em inglês e tebeo em espanhol): revista de história em quadrinhos, com uma ou mais histórias completas, ou minisséries compiladas ou isoladas, ou tirinhas, charges ou cartuns compilados. Etimologia (gibi): do português brasileiro, Gibi, nome de uma antiga revista de história em quadrinhos infantil, cujo nome era uma gíria do folclore, moleque ou negrinho. Etimologia (comic book): do inglês americano, comic book, nome dado às primeiras revistas de histórias em quadrinhos publicadas nos Estados Unidos, coletâneas de tirinhas por serem muito semelhantes a livros, sendo comic a grafia alternativa de comics (história em quadrinhos em inglês) e book, livro. Etimologia (tebeo): do espanhol hispânico, TBO, nome de uma antiga revista de história em quadrinhos infantil, cujo nome era uma adaptação fonética da expressão “Te veo”, “vejo você” em português e “I see you” em inglês.


Romance gráfico (graphic novel em inglês e novela gráfica em espanhol): livro de história em quadrinhos, com uma ou mais histórias completas, ou minisséries compiladas ou isoladas, ou tirinhas, charges ou cartuns compilados.

Fanzine (fanzine também em inglês e espanhol): revista feita por amadores, contendo diversos temas, entre eles, as próprias histórias em quadrinhos, textos de ficção científica, músicas, poesias e outras coisas. Etimologia: do inglês americano, fanzine, fanatic + magazine, revista de fanáticos.

Referências utilizadas: diversas postagens da Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol.

(Colaboração: usuário Jim do Yahoo! Respostas em Espanhol.)

O que são amerimanga, la nouvelle manga e americanime e seus antecedentes, vídeo 4 de 5, parte 1 de 4.

Amerimanga
: mistura entre os estilos da história em quadrinhos americana (comics) e da história em quadrinhos japonesa (mangá). Etimologia: do inglês americano, American + manga, mangá americano.

La nouvelle manga: mistura entre os estilos da história em quadrinhos franco-belga (bande dessinée) e da história em quadrinhos japonesa (mangá). Etimologia: do francês franco-belga, la + nouvelle + manga, o romance mangá.

Americanime: mistura entre os estilos da animação americana (animated cartoon) e da animação japonesa (anime). Etimologia: do inglês americano, American + anime, anime americano.

Comics: história em quadrinhos americana ou qualquer história em quadrinhos que siga os padrões da história em quadrinhos americana. Etimologia: do inglês americano, comics, cômicos.

Mangá: história em quadrinhos japonesa ou qualquer história em quadrinhos que siga os padrões da história em quadrinhos japonesa. Etimologia: do japonês, manga, desenhos involuntários ou desenhos irresponsáveis.


Bande dessinée: história em quadrinhos franco-belga ou qualquer história em quadrinhos que siga os padrões da história em quadrinhos franco-belga. Etimologia: do francês franco-belga, bande dessinée, tira desenhada.

Animated cartoon: animação americana ou qualquer animação que siga os padrões da animação americana. Etimologia: do inglês americano, animated, animado e do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone, pedaço de cartão grande, esboço, estudo, rascunho ou anteprojeto.

Anime: animação japonesa ou qualquer animação que siga os padrões da animação japonesa. Etimologia: do  japonês, anime, sendo este derivado do inglês americano, animation, animação ou do francês franco-belga, animée, animado.

O que são amerimanga, la nouvelle manga e americanime e seus antecedentes, vídeo 4 de 5, parte 2 de 4.

A seguir, algumas das principais características dos comics / animated cartoon, mangá / anime e bande dessinée:

Comics / animated cartoon:
Mangá / anime:
Bande dessinée:
Geralmente em cores, embora alguns autores se consagrem com histórias em preto e branco (comics).
Sempre em preto e branco (mangá).
Sempre em cores.
Geralmente produzido em papel de luxo, embora alguns gibis, romances gráficos e fanzines sejam produzidos em papel  reciclado e papel jornal (comics).
Sempre produzido em papel reciclado  e papel jornal de boa qualidade (mangá).
Sempre produzida em papel de luxo.
Seus super-heróis costumam usar apelidos e fantasias.
Seus super-heróis costumam usar os próprios nomes ou parte deles e trajes típicos de seus países ou profissões.
Seus super-heróis costumam usar os próprios nomes ou parte deles e trajes típicos de seus países ou profissões.
Geralmente, não possuem começo, meio e fim definidos, embora existam edições especiais com histórias completas e minisséries a par das numerações normais (comics) e filmes, especiais e minisséries (animated cartoon), e, de vez em quando, algum remake ou reboot de ficção.
Sempre possuem começo, meio e fim definidos, sendo que muitos mangás e animes já surgem com o número de edições (mangá) e episódios (anime) pré-definido.
Geralmente, possui começo, meio e fim definidos,  sendo editado em forma de um número indefinido de romances gráficos, diferenciados pelo título original de cada história, saindo um novo volume de cada série por ano.
Dependendo do comics ou animated cartoon, o desenho pode ser mais caricato ou mais realista.
O desenho mistura caricatura e realismo, com as personagens de olhos grandes para aumentar a própria expressividade.
O desenho é uma caricatura.
As tirinhas são tiras diárias e pranchas dominicais (comics).
As tirinhas são yonkomas (mangá).
As tirinhas são tiras diárias e pranchas dominicais.
Podem existir muitos comics e animated cartoons com temáticas adolescentes e adultas, mas não possuem subgêneros próprios.
Existem muitos mangás e animes com temáticas adolescentes e adultas específicas e exclusivas deles, assim como, por exemplo, os shounen e shoujo (para adolescentes) e os hentai (para adultos).
Podem existir muitas bandes dessinées com temáticas adolescentes e adultas, mas não possuem subgêneros próprios.

O que são amerimanga, la nouvelle manga e americanime e seus antecedentes, vídeo 4 de 5, parte 3 de 4.

Comics / animated cartoon:
Mangá / anime:
Bande dessinée:
As histórias completas e minisséries são sempre editadas em forma de gibis, romances gráficos e fanzines, com o tamanho podendo variar entre pequeno, médio, grande e gigante (comics).
Geralmente, as histórias completas e minisséries são editadas em forma de livros de bolso, embora alguns ainda sejam um pouco maiores (mangá).
Sempre editada em forma de romance gráfico, saindo um novo álbum por ano de cada série.
Os americanos investem bastante em qualquer gênero narrativo em seus comics e animated cartoons.
Os japoneses investem mais na ação, aventura, drama, fantasia, ficção científica e romance em seus mangás e animes, embora, ainda, gostem muito do erótico, guerra, policial, sobrenatural, suspense e terror, evitando a comédia.
Os franco-belgas investem mais no policial, ação e aventura em suas bandes dessinées.
São comuns gibis e romances gráficos coletando diversas histórias completas e minisséries ou tirinhas, charges e cartuns (comics).
De vez em quando, saem coletâneas de histórias originais mais antigas, por mais que isso não seja frequente nem comum (mangá).
Cada romance gráfico possui uma história completa diferente.
Sempre lido da esquerda para a direita (comics).
Sempre lido da direita para a esquerda (mangá).
Sempre lida da esquerda para a direita.
Dependendo do comics ou animated cartoon, o traço pode ser mais leve e fino ou mais pesado e grosso.
Geralmente, o traço é mais leve e fino.
Geralmente, o traço é mais pesado e grosso.

Prefiro mangás e animes a comics e animated cartoons e bandes dessinées: o fato de serem em preto e branco (mangás) faz com que despertem mais e melhor nossa imaginação; a meu ver, os olhos grandes são bastante atraentes, além de as temáticas serem diferentes e interessantes; as batalhas também atraem minha atenção, o que não significa que os outros não me pareçam muito bons, muito pelo contrário.

Na opinião de vocês, quais as melhores traduções para o nome da história em quadrinhos ao redor do mundo e por quê? Leiam abaixo e entendam:

Eis alguns exemplos:

No Brasil, traduz-se como história em quadrinhos porque os espaços onde aparecem as cenas lembram pequenos quadros. O nome também pode ser “historinha” em uma aproximação do nome usado na Espanha, no México, na Argentina e no Chile: historieta.

Em Portugal e Angola, banda desenhada em uma tradução aproximada do nome usado na França, na Bélgica, na Suíça e em Quebec: bande dessinée. O nome também pode ser “história aos quadradinhos” em uma aproximação do nome usado no Brasil.

Na Espanha, no México, na Argentina e no Chile, historieta porque é uma pequena história. O nome também pode ser cómic em uma aproximação do nome usado nos Estados Unidos e demais países anglófonos – comics, ou o nome original em inglês.

No México, muñequitos porque as personagens se parecem com bonequinhos, que é a tradução literal do nome usado. O nome também pode ser cómic ou cómico em uma aproximação do nome usado nos Estados Unidos e demais países anglófonos, que é comics, ou o nome original em inglês.

Em Cuba, monos ou monitos em uma aproximação do termo usado no México.

Nos Estados Unidos e demais países anglófonos, comics porque as primeiras histórias em quadrinhos publicadas nos Estados Unidos eram cômicas. O nome também pode ser comic.

Na Alemanha, Áustria, Suíça e Liechtenstein, Comics em uma equivalência ao nome usado nos Estados Unidos e demais países anglófonos.


Os muitos nomes da história em quadrinhos ao redor do mundo, vídeo 5 de 5, parte 2 de 3.

Nas Filipinas, komiks em outra equivalência ao nome usado nos Estados Unidos e demais países anglófonos.

No Japão, mangá porque significa desenhos involuntários ou desenhos irresponsáveis.


Na China, manhua em uma aproximação do nome usado no Japão.

Na Coreia do Sul e na Coreia do Norte, manhwa em outra aproximação do nome usado no Japão.

Na Indonésia, maqita em uma nova aproximação do nome usado no Japão.


Na França, na Bélgica, na Suíça e em Quebec, bande dessinée porque significa tira desenhada em referência ao fato de que as primeiras histórias em quadrinhos publicadas na França e Bélgica eram tirinhas.

Na Itália, fumetto porque significa “fumacinha“ em referência aos balões de falas e pensamentos, que se parecem com pequenas fumaças.

Na África do Sul, strokiesprente por motivos que ainda não identifiquei, quem souber, por favor, avise-me e será devidamente creditado, além de, ainda, receber meu muito obrigado, meus parabéns e um abraço, somente não se esqueça de me indicar qual foi a referência utilizada.

Comics não foi uma boa escolha porque eles não pensaram que poderiam surgir depois histórias mais sérias e bande dessinée porque também não pensaram que poderiam surgir depois histórias completas e minisséries.

Os muitos nomes da história em quadrinhos ao redor do mundo,  vídeo 5 de 5, parte 3 de 3.


Os melhores nomes a meu ver foram mangá e fumetto, já que os considero perfeitos e sublimes.

E para vocês, quais os melhores nomes da história em quadrinhos no mundo todo e por quê?


Observação: Gibi, comic book e tebeo não são sinônimos de história em quadrinhos em português, inglês e espanhol, mas são formas de denominar revistas de história em quadrinhos em cada idioma em questão. Gibi é uma gíria do folclore brasileiro e significa “moleque” ou “negrinho”, também o nome de uma revista infantil do Brasil com diversas histórias em quadrinhos. Esse nome acabou se tornando sinônimo genérico da revista de história em quadrinhos em português, enquanto comic book é um nome que surgiu porque as primeiras revistas de histórias quadrinhos dos Estados Unidos eram coletâneas de tirinhas, bastante similares a livros, sendo comic a variante ortográfica de comics, conforme já explicado logo no começo da postagem; e tebeo, um nome pronunciado em espanhol quase que da mesma forma do que “te veo", que quer dizer “vejo você" em português e "I see you" em inglês, foi também o nome de uma revista infantil (TBO) da Espanha com diversas histórias em quadrinhos. Esse nome acabou se tornando sinônimo genérico de revistas de história em quadrinhos em espanhol (assim como aconteceu com o nome gibi).

Referências utilizadas:
https://translate.google.com/#pt/de/hist%C3%B3ria%20em%20quadrinhoshttps://translate.google.com/#pt/af/hist%C3%B3ria%20em%20quadrinhos e diversas postagens da Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol.

Como surgiram as ideias para meus cinco vídeos didáticos sobre a história em quadrinhos, vídeo extra, parte 1 de 2.


Tudo começou quando vi os vídeos do YouTube de dois rapazes e três moças apresentando suas coleções de histórias em quadrinhos, livros e filmes. Considerei na hora fazer exatamente a mesma coisa, mas desisti após um tempo por parar, pensar, ponderar, refletir e analisar a respeito da ideia e decidir que um vídeo desses ficaria muito complicado, trabalhoso e incompleto. A ideia em si é grande e ótima, mas não creio mais que vá funcionar em meu caso, já que, além de a coleção possuir obras demais, nem todas já  estão devidamente catalogadas e existem obras faltantes ou que estão espalhadas por diferentes cantos da casa.

Depois disso, vi os vídeos e li a postagem do blog de um rapaz, duas moças e outro rapaz apresentando seus materiais de desenho. Mais uma vez, considerei fazer igual, entretanto também desisti pelo mesmo motivo da ideia anterior: são materiais demais, e, igualmente, espalhados por diferentes cantos da casa.

Depois disso, tornei a parar, pensar, ponderar, refletir e analisar a respeito do que poderia ser um vídeo que atrairia bastantes curiosos de plantão. Foi aí que minha mãe, admirada, encantada e maravilhada com todas as minhas explicações das tirinhas, charges e cartuns: as origens, significados e diferenças, sugeriu-me fazer um vídeo sobre isso. Escrevi, revi e atualizei todas as explicações desse tema por ficar extremamente incomodado com toda a ignorância de bastantes internautas da Wikipédia e Wikcionário, os quais consideraram que a tirinha, charge e cartum são sinônimos, ou mesmo, derivações ou variantes umas das outras. Experimentei reverter as edições desses internautas tão ingênuos e leigos, mas minhas reversões foram todas anuladas e não adiantou nada conversar com os próprios moderadores, já que eles nada fizeram a respeito.

Como surgiram as ideias para meus cinco vídeos didáticos sobre a história em quadrinhos, vídeo extra, parte 2 de 2.

A tirinha é a mais característica das três, até porque, além do formato original de uma tira, como o próprio nome já implica, ela geralmente possui mais quadros do que a charge e cartum e não segue o padrão de ser, geralmente, humorística, pois assim como existem muitas tirinhas humorísticas, há tantas outras não humorísticas. Ainda, existem três tipos de tirinhas: as tiras diárias, pranchas dominicais e yonkomas. O nome vem do inglês americano, comic strip, significando tira de história em quadrinhos. Já a charge e o cartum são quase idênticos, só que, ainda assim, cada um com seus méritos originais: se a tirinha possui o mérito original de criticar os valores da sociedade, a charge e cartum possuem os méritos originais de, respectivamente, criticar as pessoas e coisas da contemporaneidade e as situações do cotidiano.

Sempre soube que a charge e cartum eram bem diferentes, porque a charge vem do francês franco-belga, charger e significa carga, exagero ou ataque violento (carga de cavalaria), ao passo que o cartum vem do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone e significa pedaço de cartão grande, esboço, estudo, rascunho ou anteprojeto. E devido às semelhanças entre os primeiros curtas-metragens de animação e os cartuns da época, em inglês, o nome cartoon também se refere ao desenho animado, ou, por extenso, animated cartoon. A mesma coisa acontece em italiano e alemão, onde o desenho animado se chama, respectivamente, cartone animato e animierte Cartoon.

De resto, a charge e cartum usam o mesmo formato: geralmente, possuem um único quadro e uma sátira ou mensagem em vez de uma história e são humorísticos, embora alguns, possuindo mais de um quadro e uma história, não o sejam. A ideia para esse vídeo foi imediatamente aprovada por meus amigos e até mesmo por quem não me conhece, o que me levou a desejar fazer outros vídeos com os temas a seguir: o que são as histórias completas e minisséries, o que são os gibis, romances gráficos e fanzines,  o que são o amerimanga, la nouvelle manga e americanime e seus antecedentes e os muitos nomes da história em quadrinhos ao redor do mundo. E, sem mais, a história é esta. 

A controvérsia da história em quadrinhos, vídeo extraoficial, parte 1 de 2.

Pensei em divulgar publicamente, oficialmente e com minhas palavras o nome da primeira tirinha do mundo inteiro e o título é disputado por dois nomes completamente diferentes (ou mais até!).

Uma fonte garante que é Os Sobrinhos do Capitão (The Katzenjammer Kids ou The Captain and the Kids) (de 1897) e outra fonte garante que é The Yellow Kid (de 1895). Outra fonte um tanto menos genérica garante não que Krazy Kat (de 1913) foi a primeira propriamente dita, mas sim a primeira para adultos.

Pela lógica, a primeira seria The Yellow Kid, só que já li em outra fonte que ela teria surgido em 1897, mesmo ano do que Os Sobrinhos do Capitão. Fonte bem controversa por sinal, já que diz a primeira também pode ter sido Comic Cuts (de 1890, um gibi).

Quanto ao mais, as primeiras tentativas de se produzir histórias unindo textos e imagens já teriam surgido nos primórdios da Idade da Pedra.

Agora, a charge e o cartum (que também são histórias em quadrinhos, pois contém desenhos em quadros, personagens estáticas e falas e pensamentos dentro de balões, narrações e placas, dependendo de como for cada uma) são, de qualquer forma, muito mais antigas do que a tirinha: elas são de 1801 e 1841, respectivamente, sendo que o cartum se popularizou em 1843.

Leiam mais detalhes e informações, incluindo as referências utilizadas no roteiro de meu primeiro vídeo (Tirinhas, charges e cartuns: origens, significados e diferenças, vídeo 1 de 5).

 E bem, pelo que eu entendi, a primeira história em quadrinhos já surgiu em forma de tirinha, mas isso ainda não garante a titularidade da primeira em termos de nome!


Nesse caso, como faço para escrever sobre qual foi a primeira tirinha se não posso ter certeza de seu nome?

A controvérsia da história em quadrinhos, vídeo extraoficial, parte 2 de 2.
Principais referências utilizadas: http://operamundi.uol.com.br/conteudo/historia/2249/hoje+na+historia+1897+_+tirinha+mais+antiga+do+mundo+e+impressa+pela+primeira+vez.shtml, http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/literatura/historia-historia-quadrinhos.htm, http://www.legal.adv.br/20020301/a-historia-dos-quadrinhos-no-brasil-e-no-mundo/, http://www.dw.com/pt-br/1890-primeira-revista-em-quadrinhos/a-834103, http://www.culturamix.com/cultura/curiosidades/origem-das-historias-em-quadrinhos/, http://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/qual-a-origem-das-historias-em-quadrinhos.html.

Outras referências utilizadas: diversas postagens do Yahoo! Respostas, Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol.


Créditos de meus cinco vídeos didáticos sobre a história em quadrinhos e vídeos extra e extraoficial.


Pesquisa e seleção de material, criação da arte do canal e filmagens: Sávio Christi.


Edição da arte do canal: Patrick Pereira, Samara Souza e Pamela Marins.


Colaboração: Erin (vídeo 1), Liebre Asesino (vídeo 1) e Jim (vídeos 1, 3 e 4) do Yahoo! Respostas, a primeira do Yahoo! Respostas Brasil e ambos os últimos do Yahoo! Respostas em Espanhol.


Revisão de texto: Marihá Castro e Iana Cordeiro.


Link do blog do Blogger: http://saviochristi3.blogspot.com/2017/04/as-versoes-pos-finais-dos-roteiros-para.html.


Link do canal do YouTube: 
https://www.youtube.com/c/SávioChristiHistóriaemquadrinhosemfoco.


Agradecimentos especiais: a todos os meus parentes e amigos que acreditaram, confiaram e deixaram em mim desde o começo, sendo ou não artistas e a nove colegas do YouTube e do Blogger (seis do YouTube e três do Blogger), que fizeram explicações semelhantes às do vídeo 1.

11 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito grato, meu amigo!

      Meus amigos virão aqui em casa fazer as filmagens às 15:00, qual o nome ou URL de seu canal (o de você no caso)?

      Excluir
    2. Escute só, editei o nome de quem me filmará nos créditos e adicionei o vídeo extraoficial, se possível, retorne mais tarde e dê uma conferida e analisada!

      Excluir
  2. Ei Sávio christi aqui quem fala e a raposa do yahoo uma maneira de aumentar as views do seu videos é as tags lembra de criar muitas tags para pessoas chegar no seu video facilmente entendeu ne?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, claro, amiga Raposa, obrigado e parabéns pela indicação!

      Excluir
    2. Escute só, editei o nome de quem me filmará nos créditos e adicionei o vídeo extraoficial, se possível, retorne mais tarde e dê uma conferida e analisada!

      Excluir
  3. Ex faz um video de anime mas coloca tag de outra coisa para as pessoas chegar ao seu video sem nem mesmo querer entendeu ?

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Muito grato, meu amigo, de verdade!

      Verei se meu primeiro vídeo sai antes do final desta semana!

      Excluir
  5. Escute só, editei o nome de quem me filmará nos créditos e adicionei o vídeo extraoficial, se possível, retorne mais tarde e dê uma conferida e analisada!

    ResponderExcluir